segunda-feira, 5 de setembro de 2016

Repito por pura alegria de viver: a salvação é pelo risco, sem o qual a vida não vale a pena

Boa noite querido leitor(a), tudo bem com você?
O boa noite esta no singular pois você é único mesmo com seus defeitos e suas qualidades




Hoje quero abordar um assunto do qual já falei aqui por diversas vezes, o amor! Para me aprofundar neste tema de novo preciso  contar algumas coisas que aconteceram semana passada.
Obrigado Mãe pela oportunidade e Pai pela viagem
Fui passear em Porto Seguro – BA, fiquei uma semana conhecendo as praias, fazendo passeios e me divertindo (sem cansar). Foi uma experiência única, com certeza viveria de novo tudo novamente. Durante o passeio conheci uma pessoa em especial que pode me mostrar coisas além das quais era capaz de enxergar.
Sempre me perguntei se poderia existir alguém disposto a viver sob as minhas condições, não havia tido resposta até então, mas depois desta viagem pude perceber que existe. Através de gestos de carinho e palavras do tipo, “o seu jeito de andar foi que me chamou atenção”, “sua doença não significa nada pra mim, apenas o torna mais especial”, me fizeram acreditar que posso ser feliz tendo um relacionamento. Obrigado 

Tão natural como a luz do dia
Sou grato demais a você que me fez acreditar mais uma vez no ser humano!
Permitir-se a novas culturas, viajar, passar da hora de ir deitar, dormir mais cedo, conversar com outras pessoas, superar a dor, vencer as limitações (mesmo que difícil), entregar o coração, reciclar pensamentos, viver intensamente, mas com cautela, afinal é preciso ter vida.
Permita-se essa é a palavra certa.
Enfim, quero agradecer de todo meu coração a você que fez despertar o que há muito tempo estava adormecido em mim. Obrigado mesmo.


MUDANÇA 
Sente-se em outra cadeira, no outro lado da mesa. Mais tarde, mude de mesa.

Quando sair, procure andar pelo outro lado da rua. Depois, mude de caminho, ande por outras ruas, calmamente, observando com atenção os lugares por onde você passa.

Tome outros ônibus.
Mude por uns tempos o estilo das roupas. Dê os seus sapatos velhos. Procure andar descalço alguns dias. Tire uma tarde inteira para passear livremente na praia, ou no parque, e ouvir o canto dos passarinhos.
Veja o mundo de outras perspectivas.
Abra e feche as gavetas e portas com a mão esquerda. Durma no outro lado da cama... Depois, procure dormir em outras camas. Assista a outros programas de tv, compre outros jornais... leia outros livros.
Viva outros romances.
Não faça do hábito um estilo de vida. Ame a novidade. Durma mais tarde. Durma mais cedo.
Aprenda uma palavra nova por dia numa outra língua.
Corrija a postura.
Coma um pouco menos, escolha comidas diferentes, novos temperos, novas cores, novas delícias.
Tente o novo todo dia. O novo lado, o novo método, o novo sabor, o novo jeito, o novo prazer, o novo amor.
A nova vida. Tente. Busque novos amigos. Tente novos amores. Faça novas relações.
Almoce em outros locais, vá a outros restaurantes, tome outro tipo de bebida, compre pão em outra padaria.
Almoce mais cedo, jante mais tarde ou vice-versa.
Escolha outro mercado... outra marca de sabonete, outro creme dental... Tome banho em novos horários.
Use canetas de outras cores. Vá passear em outros lugares.
Ame muito, cada vez mais, de modos diferentes.
Troque de bolsa, de carteira, de malas, troque de carro, compre novos óculos, escreva outras poesias.
Jogue os velhos relógios, quebre delicadamente esses horrorosos despertadores.
Abra conta em outro banco. Vá a outros cinemas, outros cabeleireiros, outros teatros, visite novos museus.
Mude.
Lembre-se de que a Vida é uma só. E pense seriamente em arrumar um outro emprego, uma nova ocupação, um trabalho mais light, mais prazeroso, mais digno, mais humano.
Se você não encontrar razões para ser livre, invente-as. Seja criativo.
E aproveite para fazer uma viagem despretensiosa, longa, se possível sem destino. Experimente coisas novas. Troque novamente. Mude, de novo. Experimente outra vez.
Você certamente conhecerá coisas melhores e coisas piores do que as já conhecidas, mas não é isso o que importa.
O mais importante é a mudança, o movimento, o dinamismo, a energia. Só o que está morto não muda !
Repito por pura alegria de viver: a salvação é pelo risco, sem o qual a vida não
vale a pena!



Edson Marques

Postar um comentário